"Testemunho de Deus"

Adoração Eucarística - Abril 2017

DIA VOCACIONAL DA FAMÍLIA CARMELITA DE FÁTIMA

I. Leitura bíblica

Da Primeira Carta de S. João (1 Jo 5, 6-12):

“Este é o que veio pela água e pelo sangue: Jesus Cristo; não só pela água, mas pela água e pelo sangue. É o Espírito que dá testemunho, porque o Espírito é a verdade. São três que dão testemunho: o Espírito, a água e o sangue; e os três estão de acordo. Se aceitamos o testemunho dos homens, o testemunho de Deus é maior, porque o testemunho de Deus consiste naquele que Ele deu de seu Filho. Quem acredita no Filho de Deus tem em si mesmo esse testemunho. Quem não acredita em Deus considera-O um mentiroso, porque não acredita no testemunho dado por Deus acerca de seu Filho. E o testemunho é este: Deus deu-nos a vida eterna e esta vida está no seu Filho. Quem tem o Filho tem a vida; quem não tem o Filho de Deus não tem a vida”.

Meditação

Dos escritos de S. João da Cruz:

“Cada vez que aquela delicada chama de amor que arde na alma e acomete contra ela, sente-se como que glorificada por suave e forte glória; deste modo, sempre que a [toca], absorve e envolve, parece estar prestes a dar-lhe a vida eterna (…). Daí que a alma sinta que, cada vez que esta chama arde e a faz amar com sabor e gosto divino, está-lhe a dar vida eterna (…). Esta chama de amor é o espírito do seu Esposo (Ch 1, 1.2.4).

“Oh, pois, tu, toque delicado, Verbo, Filho de Deus, que, com a suavidade do teu ser divino, penetras subtilmente na substância da minha alma e, tocando-a delicadamente, toda a absorves em ti em modos divinos de suavidade e doçura (…)”! “Oh (…) toque inefavelmente delicado do Verbo (…)”!

“Realmente, o que se saboreia neste toque de Deus é, na verdade, sabor de vida eterna. (…) Ainda que nesta vida não se goze este toque de maneira tão perfeita como na glória, contudo, por ser toque de Deus, a vida eterna sabe” (Ch 2, 17.20.21).

Cântico

Oh chama viva de amor que ternamente feres!/ Oh chama, rompe a teia deste tão doce encontro!/ Oh doce, suave chaga, delicada carícia,/ Tu falas de vida eterna, trocando a morte em vida!

Refrão: Oh Amor que tudo crias, sublime eterna caridade,/ A tua chama é mais forte que tudo, mais forte do que a morte.

[1º momento de silêncio]

II. Leitura bíblica

Do Evangelho de S. João (Jo 3, 14-21):

“Naquele tempo, disse Jesus: Assim como Moisés elevou a serpente no deserto, também o Filho do homem será elevado, para que todo aquele que acredita tenha n’Ele a vida eterna. Deus amou tanto o mundo que entregou o seu Filho Unigénito, para que todo o homem que acredita n’Ele não pereça, mas tenha a vida eterna. Porque Deus não enviou o Filho ao mundo para condenar o mundo, mas para que o mundo seja salvo por Ele. Quem acredita n’Ele não é condenado, mas quem não acredita já está condenado, porque não acreditou no nome do Filho Unigénito de Deus. E a causa da condenação é esta: a luz veio ao mundo e os homens amaram mais as trevas do que a luz, porque eram más as suas obras. Todo aquele que pratica más acções odeia a luz e não se aproxima dela, para que as suas obras não sejam denunciadas. Mas quem pratica a verdade aproxima-se da luz, para que as suas obras sejam manifestas, pois são feitas em Deus”.

Meditação

De uma carta de Santa Teresa do Menino Jesus:

“Que felicidade sofrer por aquele que nos ama até à loucura e passar por loucas aos olhos do mundo. Julgam-se os outros por si mesmo, e como o mundo é insensato pensa naturalmente que as insensatas somos nós!... Mas no fim de contas, não somos as primeiras, o único crime que foi censurado a Jesus por Herodes foi o de ser louco e eu penso como ele!... sim era loucura procurar os pobres coraçõezitos dos mortais para deles fazer seus tronos, Ele o Rei de Glória que está sentado sobre os querubins... Ele a quem nem os céus podem conter... Estava louco o nosso Bem-amado ao vir à terra procurar pecadores para deles fazer os seus amigos, os seus íntimos, os seus semelhantes, Ele que era perfeitamente feliz com as duas pessoas adoráveis da Trindade!... Nunca poderemos fazer por Ele as loucuras que fez por nós, e as nossas acções não merecem este nome, porque são apenas actos muito razoáveis e muito abaixo daquilo que o nosso amor queria realizar. Portanto, o mundo é que é insensato visto que ignora o que Jesus fez para o salvar” (Carta 169).

Cântico

Refrão: Deus amou tanto o mundo que lhe deu o Seu Filho Unigénito/ Para que quem n’Ele acredita tenha a vida eterna.

1. Deus não enviou o Seu Filho p’ra condenar o mundo,/ mas p’ra que o mundo seja salvo por meio d’Ele./ Quem acredita n’Ele não é condenado,/ porque acreditou no nome do Unigénito Filho de Deus.

2. A luz apareceu no mundo e nela estava a vida,/ as trevas envolvem a luz mas não a venceram./ A luz verdadeira veio ao mundo/ para iluminar todo o homem com a Sua graça, dom de salvação.

[2º momento de silêncio]

v. Adorações anteriores

 

  [imagem: A serpente de bronze, Michelangelo Buonarroti [1475-1564]